Solidariedade em Portugal

O Grupo Sportivo Adicense, centenária colectividade no coração de Alfama, acolheu, uma vez mais, com a simpatia e generosidade habituais, o Jantar Palestino que o MPPM integra no programa das Jornadas de Solidariedade com a Palestina.
Muito mais que um evento gastronómico, este Jantar é uma jornada de partilha cultural, de convívio e de solidariedade com o povo palestino. Este ano, o Jantar contou com a presença do actual Embaixador da Palestina, Nabil Abuznaid, do antigo Embaixador, Issam Besseisso, de membros da representação diplomática e da comunidade palestina, de muitos apoiantes da causa palestina e de um significativo número de vizinhos do Adicense.

Segundo informa o seu Grupo Parlamentar, o PCP apresentou durante a discussão do Orçamento do Estado para 2019 uma proposta para que o Estado Português aumente o seu apoio à UNRWA, a Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina.

A proposta, apresentada em sede de discussão na especialidade, é de um reforço de 100 mil euros da contribuição portuguesa, que, segundo dados da UNRWA, é actualmente de cerca de 42 000 euros. A votação está prevista para o próximo dia 28 de Novembro.

O PCP sublinha que a verba proposta é diminuta face às dramáticas necessidades humanitárias dos refugiados palestinos no contexto da ocupação, mas poderá ter significado concreto, traduzindo um avanço no posicionamento de solidariedade e justiça da parte de Portugal.

A Associação José Afonso e o MPPM, com o apoio da Casa da Cultura de Setúbal, organizaram, neste domingo, 11 de Novembro, uma Tarde Cultural Palestina.

Helena do Carmo, da Associação José Afonso, deu as boas-vindas, explicou o objectivo da sessão e anunciou o programa.

O MPPM organiza no próximo dia 23 de Novembro, a partir das 20 horas, o tradicional Jantar Palestino, no Grupo Sportivo Adicense que, uma vez mais, põe graciosamente à nossa disposição as suas instalações, em pleno coração de Alfama.

O Jantar Palestino é mais que um evento gastronómico: é uma jornada de partilha cultural, de convívio e de solidariedade com o povo palestino.

Para a ementa deste ano, o Chef Ashraf Hajleh propõe-nos, como entradas:
- Hummus (pasta de grão-de-bico condimentada com azeite, alho, sumo de limão, pasta de sésamo e especiarias)
- Falafel (bolinhos fritos de grão-de-bico misturados com cebola, alho e salsa)
- Salada Palestina (tomate, pepino, pimento verde, salsa e cebola)
- Salada de couve e cenoura com iogurte

A Câmara Municipal de Palmela, na sua reunião do passado dia 3 de Outubro, aprovou por unanimidade uma moção condenando a destruição iminente da aldeia de Khan al-Ahmar.
O MPPM felicita a Câmara Municipal de Palmela pela sua acção continuada e absolutamente notável de solidariedade empenhada com a causa da liberdade do povo palestino, de que esta moção é mais um exemplo.
É o seguinte o texto integral do documento:
 
Moção
(Contra a destruição da aldeia de Khan al-Ahmar e a transferência forçada dos seus habitantes)
 

No momento em que se completam 20 anos sobre a atribuição a José Saramago do Prémio Nobel de Literatura, a Direcção Nacional do MPPM — Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente homenageia a memória daquele que foi um dos seus fundadores e Presidente da Mesa da Assembleia Geral até ao seu desaparecimento.

José Saramago foi um dos impulsionadores das iniciativas em defesa da causa do povo palestino que haveriam de conduzir à constituição do MPPM, de que se destacam o abaixo-assinado «Não ao Muro de Sharon» (2004), o documento fundador do MPPM (2005), o apelo contra a agressão israelita ao Líbano e a guerra (2006), a moção de repúdio aos 40 anos de ocupação da Margem Ocidental do Jordão depois da Guerra dos Seis Dias (2007), a denúncia da invasão israelita da Faixa de Gaza (2008), entre muitas outras iniciativas.

A Assembleia da República aprovou no passado dia 26 de Setembro um Voto condenando a decisão das autoridades israelitas de expulsar os habitantes de Khan al-Ahmar.
O MPPM congratula-se com resolução deste órgão de soberania, que junta assim a sua voz à condenação que no mundo inteiro se faz ouvir contra o mais recente exemplo da limpeza étnica da população palestina levada a cabo pelo Estado sionista, com o objectivo de ampliar a colonização e impossibilitar a criação do Estado palestino.
O Voto foi apresentado pelo Grupo Parlamentar do Partido Comunista Português, tendo sido aprovado com os votos a favor do PCP, PEV, PS, BE e PAN, os votos contra do PSD e a abstenção do CDS-PP.
É o seguinte o texto integral do documento:
 
«Voto de condenação n.º 623/XIII-4ª
da ordem de expulsão dos habitantes de Khan al-Ahmar por parte das autoridades de Israel
A Câmara Municipal de Palmela, na sua reunião do passado dia 22 de Agosto, aprovou por unanimidade de congratulação pela libertação da jovem Ahed Tamimi, presa desde 19 de Dezembro de 2017 nas cadeias de Isral.
O MPPM felicita a Câmara Municipal de Palmela por mais esta tomada de posição solidária, que vem somar-se às muitas demonstrações da solidariedade deste município com a causa do povo palestino.
É o seguinte o texto integral da moção:
 
Saudação
(Libertação de Ahed Tamimi)
Em 29 de Julho a embarcação Al Awda (O Retorno), com bandeira norueguesa, foi apresado pela marinha israelita em águas internacionais, a cerca de 50 milhas náuticas de Gaza. Posteriormente foi levado para o porto israelita de Ashod, sendo presas as 22 pessoas (8 tripulantes e 14 passageiros) de 16 nacionalidades que seguiam a bordo.
Parte da Flotilha da Liberdade que tenta romper o bloqueio ilegal a que Israel submete da Faixa de Gaza desde há doze anos, o Al Awda, um antigo barco de pesca da Noruega, transportava medicamentos e destinava-se a ser oferecido aos pescadores palestinos em Gaza.
Um outro barco da Flotilha, o Freedom, com bandeira sueca, que também transporta material médico e leva a bordo pessoas de várias nacionalidades, continua a dirigir-se para Gaza, sendo de temer que seja alvo de idêntico acto de violência por parte de Israel.
Membros da tripulação do Al-Awda e do Freedom, que integram a Flotilha da Liberdade 2018 – Rumo a Gaza, estiveram ontem à conversa com simpatizantes portugueses, desta vez no espaço da Fábrica de Alternativas, em Algés.
Fomos recebidos por Conceição Alpiarça, que apresentou o espaço e o seu conceito de «banco de tempo».
James Godfrey, o responsável de comunicação do projecto, evocou a história das várias flotilhas que se dirigiram a Gaza para furar o desumano bloqueio imposto por Israel, desde a primeira campanha, em 2008, e a única a chegar a Gaza, até ao presente, sem esquecer o bárbaro assassinato pelas forças sionistas de 10 tripulantes do Mavi Marmara na campanha de 2010. Apelou a acções de apoio à flotilha, não só pela solidariedade com o povo palestino que a iniciativa representa, mas também para segurança das tripulações.

Páginas

Subscreva Solidariedade em Portugal