Solidariedade em Portugal

Centenas de pessoas participaram nas quatro iniciativas realizadas na Península de Setúbal, no dia 15 de Novembro de 2023, para denunciar os bárbaros crimes de Israel contra o povo palestino, muito em especial o massacre em curso na Faixa de Gaza que se traduziu até ao momento em mais de 11 000 mortos palestinos (quase metade dos quais crianças), milhão e meio de desalojados e destruições materiais imensas, criando uma catástrofe humanitária de proporções sem precedentes.

Os participantes exigiram com particular ênfase um cessar-fogo imediato que ponha fim ao massacre. Além disso, chamaram a atenção para o perigo do alastramento da guerra a todo o Médio Oriente e reclamaram uma solução de fundo para a questão, que implica necessariamente a criação de um Estado palestino independente e soberano. A palavra de ordem «Palestina vencerá» foi repetidamente entoada, em solidariedade com a luta do povo palestino.

O MPPM esteve na Escola Secundária de Camões, em Lisboa, no passado dia 13 de Novembro, com uma sessão à tarde, para os alunos da escola, e uma sessão à noite, para o público em geral, com a exibição do filme «A Terra Fala Árabe». Ambas as sessões foram seguidas de debate.

Na sessão da tarde, os estudantes que encheram por completo o Auditório assistiram muito interessados à projecção do documentário «Como foi colonizada a Palestina», de Abby Martin, e três filmes curtos da Aljazeera. Seguiu-se um período de perguntas e repostas animado por Jorge Cadima, do MPPM.

À noite, para o público em geral, e inserida na parceria da ES Camões com o ABC Cineclube de Lisboa, foi exibido o filme «A Terra Fala Árabe», de Marise Gargour. O debate subsequente, muito participado, foi moderado por Carlos Almeida, do MPPM.

O MPPM participou na manifestação promovida pela Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional que ontem, 11 de Novembro, levou milhares de pessoas a desfilar entre o Príncipe Real e o Cais do Sodré, em Lisboa, «Pelo aumento dos salários! Contra o aumento do custo de vida! Pelo direito à saúde e à habitação!», deste modo vincando os laços de solidariedade entre os trabalhadores portugueses, em luta pelos seus direitos, e o povo palestino em luta pela paz e pelos seus direitos nacionais.

Respondendo ao apelo da União dos Sindicatos do Algarve – CGTP, do Conselho Português para a Paz e Cooperação e do MPPM, duas centenas de pessoas reuniram-se na Rua de Santo António, no centro da capital algarvia, para demonstrar o seu repúdio pela bárbara agressão de Israel contra a Faixa de Gaza, que já provocou mais de 10 000 mortos palestinos (quase metade dos quais crianças) e enormes destruições materiais, criando uma catástrofe humanitária de proporções inimagináveis.

Ao mesmo tempo que exigiram um cessar-fogo imediato que ponha fim ao massacre, os participantes na Vigília alertaram para o perigo do alastramento da guerra a todo o Médio Oriente e reclamaram uma solução de fundo para a questão, que passa pela criação de um Estado palestino independente e soberano. A solidariedade com o povo palestino foi afirmada uma e outra vez na palavra de ordem «Palestina vencerá».

Mais de um milhar de pessoas desfilou no Porto, na tarde de 5 de Novembro, entre a Praceta da Palestina e a Praça D. João I, manifestando-se pela paz no Médio Oriente e pela independência da Palestina, contra a guerra e o massacre que Israel faz em Gaza, pelo cessar-fogo imediato, e pela ajuda humanitária urgente.

Na Praça D. João I, com apresentação da jovem Ana Pedro, intervieram Tiago Oliveira, coordenador da USP/CGTP-IN, José António Gomes, da Direcção Nacional do MPPM, Manuel Loff, um dos promotores de um manifesto de solidariedade com a Palestina, a estudante palestina Nur Latif e Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC.

O evento terminou com música e danças da Palestina.

Intervenção de José António Gomes na manifestação de 5 Nov 2023 no Porto
Intervenção de José António Gomes na manifestação de 5 Nov 2023 no Porto
Música e danças palestinas na manifestação de 5 Nov 2023 no Porto
Música e danças palestinas na manifestação de 5 Nov 2023 no Porto
Vigília em Lisboa, 3 Novembro 2023

Os milhares de mortos palestinos vitimados pela bárbara agressão de Israel contra a Faixa de Gaza foram ontem,.3 de Novembro, evocados numa Vigília realizada na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa, por iniciativa do CPPC, da CGTP-IN, do MPPM e da Associação Juvenil Projecto Ruído.

Centenas de pessoas participaram na iniciativa que começou com a colocação no relvado de 8000 bandeiras palestinas, que era o número de vítimas à data da convocação da iniciativa, número esse infelizmente já muito ultrapassado.

400 velas compuseram a palavra PAZ, que foi o tema dominante das intervenções dos quatro oradores: cessar-fogo imediato para assistência humanitária e paz para a região.

António Olaio disse poesia de autores palestinos e falaram Pedro Henriques, pelo Projecto Ruído, Julie Neves, pelo CPPC, Raul Ramires, pelo MPPM, e Gonçalo Paixão , pela Interjovem - CGTP
 

Nem o silêncio nem a desinformação da comunicação social podem negar esta evidência: foram muitos os milhares de pessoas que neste domingo, 29 de Outubro, participaram na grande manifestação «Paz no Médio Oriente, Palestina Independente!», dizendo «Não à Guerra, Não ao Massacre!».

Respondendo a uma convocação do CPPC, da CGTP-IN e do MPPM, a aque se associaram muitas outras organizações e colectivos, desfilou-se entre a Praça Martim Moniz e a Praça do Município, em Lisboa, para reclamar o fim do ataque genocida de Israel ao povo palestino, gritando “Paz Sim, Guerra Não!”, “Paz no Médio Oriente, Palestina Independente!”, “Gaza não é Prisão, Massacre e Cerco Não!” mas, sobretudo, “Palestina Vencerá!”.

No sábado 28 de Outubro realizou-se, com a presença de cerca de 800 pessoas, o III Encontro pela Paz promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) e mais 12 organizações e entidades, nomeadamente o MPPM, as Câmaras Municipais de Vila Nova de Gaia, Évora e Setúbal, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional (CGTP-IN), a Juventude Operária Católica (JOC), a Federação Nacional de Professores (FENPROF), a Confederação Portuguesa de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto (CPCCRD), a Obra Católica Portuguesa das Migrações, os Municípios pela Paz, o Movimento Democrático de Mulheres (MDM) e a União de Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP).

José António Gomes | É legítima a resistência dos Palestinos à ocupação
José António Gomes | É legítima a resistência dos Palestinos à ocupação
Jorge Cadima | A Paz é urgente, a Paz é inadiável!
Jorge Cadima | A Paz é urgente, a Paz é inadiável!
Carlos Almeida | Ninguém pode dizer: eu não sabia!
Carlos Almeida | Ninguém pode dizer: eu não sabia!
Concentração Porto 26 Out 2023

Com a participação de cerca de três centenas de pessoas, decorreu pelas 18h do dia 26 de Outubro, na Praceta da Palestina, no Porto, novo acto público «Pela Paz no Médio Oriente e pelos direitos do Povo Palestino». Foram promotores a União de Sindicatos do Porto (CGTP), o CPPC e o MPPM.

As intervenções estiveram a cargo de Tiago Oliveira, coordenador da USP/União dos Sindicatos do Porto e membro do Conselho Nacional da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses / Intersindical Nacional (CGTP/IN), de José António Gomes, membro da Direcção Nacional do MPPM, da estudante palestina Nur Latif e de Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC). Joana Machado assegurou a introdução, a conclusão e a apresentação dos intervenientes.

Os protestos contra a agressão israelita a Gaza e a solidariedade com o Povo Palestino voltaram a ser ouvidos ontem, 18 de Outubro, na Praça Martim Moniz, em Lisboa, gritados pelos milhares de pessoas que responderam à chamada do CPPC, da CGTP-IN e do MPPM, a que se juntaram outras organizações e colectivos.

Inês Caeiro, da Associação Juvenil Projecto Ruído, contextualizou a situação e foi apresentando os diferentes oradores.

Começou por intervir João Coelho, membro do Conselho Nacional da CGTP-IN, seguindo-se Dima Mohammed, palestina, investigadora na NOVA-FCSH.

A intervenção de Carlos Almeida, vice-presidente da Direcção Nacional do MPPM, precedeu a de Rui Garcia, vice-presidente da Direcção Nacional do CPPC.

João Coelho voltou ao palco para anunciar que outras iniciativas estão programadas para outros locais do país, nomeadamente Évora (19 de Outubro) e Braga (25 de Outubro) e outras sem data ainda marcada.

Intervenção de Carlos Almeida, no Martim Moniz, em 18 de Outubro de 2023
Intervenção de Carlos Almeida, no Martim Moniz, em 18 de Outubro de 2023
Intervenção de Dima Mohammed, no Martim Moniz, em 18 de Outubro de 2023
Intervenção de Dima Mohammed, no Martim Moniz, em 18 de Outubro de 2023

Páginas

Subscreva Solidariedade em Portugal