Agenda

Terça, 20 de Abril, 18 horas
Museu do Aljube, Lisboa

Assinalando o Dia dos Presos Palestinos, o MPPM – Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente – e a URAP – União de Resistentes Antifascistas Portugueses – , com o apoio do Museu do Aljube, promovem uma sessão de solidariedade com os presos e detidos administrativos palestinos nas prisões de Israel.

No final de Março estavam detidos nas prisões de Israel 4450 palestinos, incluindo 140 menores e 37 mulheres. Do total, 440 estão em detenção administrativa, uma prática que permite a detenção, sem culpa formada ou julgamento, prorrogável indefinidamente, e que evoca as infames «medidas de segurança» do fascismo português.

Quarta, 14 de Abril, 18 horas
Largo Martim Moniz, Lisboa
Quinta, 15 de Abril, 18 horas
Frente à Casa da Música, Porto

A paz é uma urgência do presente e uma exigência de futuro. A cada escalada de tensão, a cada prolongamento dos bloqueios, a cada nova sanção, a cada novo bombardeamento, cresce a importância da afirmação da defesa da paz.

As organizações que se associam nos atos públicos pela paz que se realizam dias 14 e 15 de Abril, respetivamente, em Lisboa e no Porto, apelam ao fim da guerra, das sanções e dos bloqueios, e à promoção dos valores da paz, da solidariedade e da cooperação entre os povos como condição indispensável ao progresso da humanidade.

Os desenvolvimentos no plano internacional não deixam margem para dúvidas: a pandemia não suspendeu as agressões, as sanções e os bloqueios; muito pelo contrário, apenas intensificou as suas criminosas consequências, nomeadamente no plano da saúde.

Sábado, 5 de junho, 10.30 - 17.00 horas
Fórum Luisa Todi, Setúbal

Temas: Paz e Desarmamento, Cultura e Educação para a Paz, e Solidariedade e Cooperação
Organização: CPPC, C.M. Setúbal, C.M. Loures, CGTP-IN, CPCCRD, Fenprof, JOC, MDM, Municípios pela Paz, MPPM, OCPM e URAP

Subscreva Agenda