Sessões e Actos Públicos

O MPPM associou-se ao acto público de solidariedade com a Palestina que a comunidade brasileira em Portugal organizou no Largo do Intendente, em Lisboa, na tarde de sábado 18 de Maio.

A iniciativa pela Paz, em defesa do povo palestino, contra o genocídio em Gaza e por um cessar-fogo imediato, partiu do impulso de diversos Núcleos do PT (Partido dos Trabalhadores) no exterior a que aderiram várias organizações, movimentos e partidos brasileiros, incluindo PT, PCdoB, PSOL, FEPAL, CEBRAPAZ, MST, CUT Brasil, FIBRA, Comités Populares de Luta e Comités pela Palestina.

Carlos Almeida interveio em representação do MPPM.

O recém-criado Movimento Póvoa Pela Palestina, na sua primeira acção cívica, reuniu mais de seis dezenas de pessoas na noite do sábado, 18 de Maio, na Praça do Almada, em frente aos Paços do Concelho, na Póvoa de Varzim.

Houve “microfone aberto” para quem sentisse vontade de expressar solidariedade para com o povo palestino. E houve também poemas e canções e a divulgação de um Manifesto.

O MPPM associou-se à iniciativa.


Fotos: Movimento Póvoa pela Palestina, A Herculano Ferreira, J J Silva Garcia e Eduardo Faria

Na tarde de sábado, 18 de Maio, realizou-se no Jardim do Largo Coronel Batista Coelho um acto público de solidariedade com o povo palestino, pelo cessar-fogo, pela ajuda humanitária urgente e por uma Palestina independente.

Nas intervenções foi ainda referida a necessidade de prosseguir a luta pela Paz e reclamou-se o fim da ocupação da Palestina, o cumprimento das resoluções da ONU e o respeito pelos princípios da Carta das Nações Unidas. Foram lidos poemas de Mahmoud Darwich e outros.

O evento foi promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, pelo Movimento dos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente, pelo Projecto Ruído - Associação Juvenil e por amigos da Paz de Santo Tirso.


Fotos: CPPC e João Pedro Mésseder

O MPPM participou na Vigília pela Palestina convocada pela PUSP – Plataforma Unitária de Solidariedade com a Palestina – para assinalar o 76º aniversário da Nakba, a catástrofe que, em 1948, deu início à limpeza étnica dos palestinos e à ocupação das suas terras por parte de Israel.

O evento teve lugar no Jardim Amélia Carvalheira, na Avenida Marquês de Tomar, em Lisboa, no passado dia 15 de Maio, e a localização foi escolhida pela proximidade da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa para expressar também apoio aos estudantes que ocupavam a faculdade em solidariedade com a Palestina.

Carlos Almeida interveio em representação do MPPM.

Na tarde de sábado, 11 de Maio, à semelhança do que vem acontecendo em várias cidades do país, por iniciativa do CPPC, da CGTP-IN, do MPPM e do Projecto Ruído, realizou-se em Torres Novas uma acção pela Paz no Mundo, por uma Palestina Livre, dizendo Não à Guerra!

Numa concentração no Jardim das Rosas, exigiu-se o fim do genocídio do povo palestino e um cessar-fogo imediato e permanente na Faixa de Gaza. Defendeu-se uma Palestina livre e independente, condenou-se a corrida aos armamentos e apelou-se ao prosseguimento da luta pela Paz no Mundo.

Nesta concentração, os participantes afixaram bandeiras pela Paz no Mundo e na Palestina, e, para além das intervenções em representação das organizações promotoras, houve ainda um testemunho da familiar de um cidadão palestino.

Nesta tarde de sábado, 11 de Maio, a Baixa de Lisboa voltou a ouvir milhares de pessoas a reclamar o fim do genocídio na Palestina, um cessar-fogo imediato e permanente em Gaza, paz no Médio Oriente e no resto do Mundo, em resposta a uma convocação do MPPM, do CPPC, da CGTP-IN e do Projecto Ruído, a que aderiram muitas outras organizações e colectivos.

Com concentração inicial no Largo José Saramago (Campo das Cebolas), os manifestantes passaram pelo Terreiro do Paço, Rua do Ouro, Rossio e Praça da Figueira, para terminarem no Martim Moniz sem nunca deixarem da gritar palavras de ordem como Paz sim, Guerra não!, Paz no Médio Oriente, Palestina Independente!, Palestina Vencerá!, O Povo quer a Paz, Não o que a Guerra traz! ou É preciso, é urgente, Cessar-fogo permanente!

Numa Praça do Martim Moniz completamente cheia, com apresentação do Projecto Ruído, intervieram Rui Garcia (CPPC), Carlos Almeida (MPPM), Dima Akam (palestina) e Diniz Lourenço (CGTP-IN)

Respondendo a uma convocação do CPPC, da CGTP-IN, do MPPM e do Projecto Ruído, muitas centenas de pessoas concentraram-se nesta sexta-feira, 10 de Maio, ao fim da tarde, na Praceta da Palestina, na cidade do Porto, desfilando depois até à estação de metro da Trindade onde se realizou um acto público pela Paz no Mundo, por um Palestina Livre, dizendo Não à Guerra!

Ainda na Praceta da Palestina falou, em nome do MPPM, a jovem Iolanda Oliveira. Já na Trindade, o professor e sindicalista Henrique Borges disse um poema, seguindo-se intervenções do coordenador da União dos Sindicatos do Porto, Filipe Ferreira, e do professor universitário Rui Pereira. Ilda Figueiredo, presidente da Direcção Nacional do CPPC, encerrou as intervenções.
 

Em Coimbra, ao final da tarde desta quarta-feira dia 8 de Maio, algumas centenas de pessoas manifestaram-se pela Paz no Mundo, por uma Palestina Livre e por um rotundo Não à Guerra!

Convocados pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), pelo Movimento Pelos Direitos do Povo Palestino e Pela Paz no Médio Oriente (MPPM), pela União dos Sindicatos de Coimbra/CGTP-IN e pelo Projecto Ruído - Associação Juvenil, foram na sua maioria jovens que desfilaram desde a margem esquerda da Ponte de Santa Clara atravessaram a Praça da Portagem e seguiram pela ruas Ferreira Borges e Visconde da Luz até à Praça 8 de Maio.

Transportaram panos do Núcleo de Coimbra do CPPC e do Núcleo de Coimbra do MPPM, assim como dezenas de bandeiras de ambas as organizações, bem como imensas pancartas de apoio ao Povo Palestino e de protesto contra a agressão do Estado de Israel.

No dia 6 de Maio, na Biblioteca Municipal de Gaia, procedeu-se ao lançamento do livro «Encontro pela Paz: Nos 50 anos do 25 de Abril, pela Paz todos não somos demais», edição do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC). A obra colige todas as intervenções feitas no extraordinário Encontro pela Paz de 28 de Outubro de 2023 que reuniu mais de 800 pessoas no Pavilhão Municipal de Oliveira do Douro e que, para a sua concretização, contou com o apoio da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia.

Presentes na Biblioteca representantes de várias associações e movimentos co-organizadores deste histórico Encontro. Na mesa, Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional do CPPC, a vereadora da cultura da C.M. de V. N. de Gaia, Paula Carvalhal, e José António Gomes, membro da Direcção Nacional do MPPM.

No passado sábado 4 de Maio, realizou-se em Setúbal, na Sociedade Musical Recreativa União Setubalense, um concerto solidário com a Palestina. Calorosamente aplaudidos, na sede da prestigiada associação sadina actuaram, ao longo de mais de duas horas, os músicos espanhóis Mili Vizcaíno e Niño Índigo e os portugueses Tio Rex, Museum Museum, Et Toi Michel e Noitibó, e ainda o coro Vozes da União.

Numa iniciativa impulsionada por João Mota (“Et Toi Michel”), todos os artistas actuaram graciosamente, e o contributo financeiro pedido aos cerca de 150 espectadores destinou-se integralmente a recolher fundos para ajuda humanitária à Palestina, que será encaminhada para campos de refugiados no Líbano e na Síria e também para os Hospitais Al Awda, em Gaza, através da organização humanitária espanhola Sonrisas en Acción, que colaborou na organização.

Páginas

Subscreva Sessões e Actos Públicos