História da Palestina e do Médio Oriente

Atentado terrorista da Irgud contra o Hotel King David
O segundo quartel do século XX forja o destino trágico do povo palestino. Com a queda do Império Otomano, as potências coloniais apropriam-se do Médio Oriente e abrem as portas à ocupação judaica da Palestina, impulsionada pela retórica sionista. Pouco confiantes na força da sua razão, os sionistas recorrem à violência e ao terror para preparar o caminho para a proclamação do Estado de Israel.
 
2. DO MANDATO BRITÂNICO À PROCLAMAÇÃO DO ESTADO DE ISRAEL
1920
No rescaldo da 1ª Guerra Mundial, a Sociedade das Nações decide dividir a maior parte do Império Otomano em territórios mandatados. A Palestina fica submetida ao Mandato Britânico.
Maio - Confrontos em Jerusalém entre judeus e palestinos.
Família árabe de Ramala
Ao longo de milénios, desde a chegada dos “Povos do Mar”, o povo da Palestina assistiu à passagem, pelo seu território, de diferentes povos e civilizações. Aos Assírios e Babilónios, Persas, Gregos e Romanos, sucederam Árabes e Otomanos. Com todos coexistiu o povo da Palestina, de cada um drenando, em maior ou menor extensão, elementos que ajudaram a formatar a sua cultura sendo a influência muçulmana, porventura, a mais relevante. 
 
1. DA TERRA DE CANAÃ AO FIM DO IMPÉRIO OTOMANO
2000 A.C.
Amoritas, Cananeus e outros povos semitas, relacionados com os Fenícios, ocupam o território que ficará conhecido como Terra de Canaã.
1800-1500 A.C.
Comemora-se em 15 de Maio o aniversário da NAKBA, que em árabe quer dizer Catástrofe, e que marca o princípio da tragédia que se abateu sobre o Povo Palestino, perseguido, massacrado e expulso da sua terra pelos novos ocupantes judeus.
A independência do Estado de Israel, proclamada unilateralmente em 14 de Maio de 1948, significou para os palestinos o início da devastação da sua sociedade, a eclosão de um drama individual e colectivo que perdura até aos nossos dias. Repartido o seu território pelo novel Estado judaico (na parte consagrada pela Resolução 181 das Nações Unidas, de 29 de Novembro de 1947), pelo reino da Jordânia (a Cisjordânia) e pelo Egipto (a Faixa de Gaza), os palestinos tornaram-se exilados na sua própria pátria, com a maioria das terras confiscadas e os direitos cívicos reduzidos ou eliminados.

Páginas

Subscreva História da Palestina e do Médio Oriente