Home Ocupação Israelita
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

Intervenção do Embaixador Mufeed Shami na comemoração dos 65 anos da Nakba organizada pelo MPPM (*)

nakba 65 anos - embaixador mufeed shamiExcelências, Senhoras e Senhores,

Estendo os meus melhores cumprimentos e profundos agradecimentos a todos, pela vossa participação na comemoração dos 65 anos da Nakba, quer através das mensagens transmitidas nesta ocasião quer pela vossa presença nesta comemoração anual, expressando a vossa solidariedade para com o povo palestiniano e suas aspirações quanto à obtenção dos seus direitos legítimos à autodeterminação, terminando com a ocupação israelita e conseguindo a independência de um estado soberano nas fronteiras de 4 de Junho de 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital.

Apreciamos extremamente os esforços e iniciativas do MPPM, destinados a apoiar a Palestina e o povo palestiniano, influenciado a política pública em relação à Palestina através da implementação das resoluções das Nações Unidas, relembrando à comunidade internacional que a questão da Palestina começou em 1948 com a Nakba, uma tragédia que persiste há 65 anos e que provocou o deslocamento de mais de metade do nosso povo, que continua a sofrer os seus efeitos, quer seja sob a ocupação quer seja nos campos de refugiados e na diáspora.

A afronta contra o nosso povo em 1948 não tem igual na História moderna das populações e das nações, gerada através de uma falsa divisa adoptada pelo Movimento Sionista - uma terra sem povo para um povo sem terra – que desenraizou a nossa população das nossas cidades e aldeias, numa tentativa de apagar o nome da Palestina do mapa mundial.

Este apoio ilimitado a Israel pelas superpotências levou à convicção de que Israel está acima da Lei e que o destino dos palestinianos está entregue ao tempo: onde os idosos morrerão e os jovens irão esquecer. Consequentemente, o nome dos palestinianos tornou-se sinónimo de refugiados. Desde então que o mundo tem desconsiderado os direitos dos palestinianos, sendo que o que estava a nosso favor foi ignorado e Israel foi aceite como membro das Nações Unidas.

Contudo, a geração da Nakba, desde o ano de 1948, e apesar do sofrimento daqueles que ficaram na sua terra natal ou tornaram-se refugiados na sua própria terra ou fora desta, continuam a sua luta para devolver a Palestina ao mapa mundial, tendo atravessado várias fases que se acumulam na direcção da Independência da Palestina.

Ler mais...
 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 Seguinte > Final >>

Página 3 de 8
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing