Home Actualidade NETANYAHU QUER DESMANTELAMENTO DA AGÊNCIA DA ONU DE APOIO AOS REFUGIADOS PALESTINOS (UNRWA)
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

NETANYAHU QUER DESMANTELAMENTO DA AGÊNCIA DA ONU DE APOIO AOS REFUGIADOS PALESTINOS (UNRWA)

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, apelou hoje ao desmantelamento da Agência das Nações Unidas para os Refugiados da Palestina no Próximo Oriente (UNRWA), responsável pela prestação de serviços a milhões de refugiados palestinos no território palestino ocupado e no Médio Oriente.

Durante reunião semanal do gabinete de segurança israelita, Netanyahu pronunciou-se contra a existência de uma entidade da ONU dedicada especificamente às necessidades dos refugiados palestinos, acrescentando que «chegou o momento de desmantelar a UNRWA e integrá-la no ACNUR», o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

«A UNRWA, em grande medida, pela sua própria existência, perpetua — e não resolve — o problema dos refugiados palestinos», acrescentou.

Netanyahu também evocou a recente descoberta de um túnel parcialmente construído sob uma escola da UNRWA na Faixa de Gaza cercada, acusando o Hamas de «usar crianças como escudos humanos». O Hamas, o partido no poder na Faixa de Gaza, negou qualquer ligação ao túnel.

Netanyahu «esquece» que a própria existência dos túneis em Gaza é consequência directa do facto de esse território palestino se encontrar desde 2006 sujeito a um desumano bloqueio por parte de Israel e ameaçado a qualquer momento de uma agressão armada israelita, a exemplo das de 2008, 2012 e 2014.

E, sobretudo, o primeiro-ministro de Israel «esquece» que é Israel o culpado da própria existência dos refugiados palestinos. Em 1948, uma campanha organizada de limpeza étnica que acompanhou a criação de Israel resultou na expulsão de mais de 700.000 palestinos; e em 1967 a ocupação total do território palestino resultou em nova vaga de deslocados e refugiados. Os refugiados palestinos (cujo número é estimado em 6,5 milhões pela ONG palestina BADIL) constituem a mais antiga e mais numerosa população de refugiados do Médio Oriente. Está ainda hoje por resolver a sua tragédia, apesar de o seu regresso ser previsto logo em 1948 pela resolução 194.

A UNRWA tem sido criticada pelos palestinos em muitas ocasiões, mas os refugiados, nomeadamente no território palestino ocupado, encaram a preservação da sua condição de refugiados como uma forma de manterem a reclamação do seu direito de retorno às aldeias da Palestina histórica de que os seus antepassados foram expulsos.

[11.06.2017]

 
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing