Home Actualidade GREVE DA FOME DE PRESOS PALESTINOS ENTRA NO SEGUNDO MÊS, EXIGE SOLIDARIEDADE
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

GREVE DA FOME DE PRESOS PALESTINOS ENTRA NO SEGUNDO MÊS, EXIGE SOLIDARIEDADE

A greve da fome de cerca de 1500 presos políticos palestinos completa hoje 32 dias.

Iniciada a 17 de Abril por presos políticos de todas as tendências políticas, a greve da fome está já a ter efeitos muito sérios sobre o estado de saúde dos presos. A situação dos presos e das suas famílias está a tornar-se insuportável, afirmam observadores citados pela agência palestina Ma'an.

Todos os presos em greve da fome foram transferidos para prisões israelitas providas de clínicas, o que aumenta o alarme quanto à possibilidade de as autoridades prisionais recorrerem à alimentação forçada, considerada tortura pelo direito internacional.

Os presos foram transportados em veículos com bancos de metal, algemados, em viagens de várias horas, muito penosas no seu estado de saúde enfraquecido.

Entretanto, as manifestações de solidariedade têm-se multiplicado na Palestina. Ainda ontem, 17 de Maio, as autoridades israelitas reprimiram duas manifestações de solidariedade com os presos realizadas na Margem Ocidental e em Jerusalém Leste ocupadas.

Também ontem foi divulgada pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação uma declaração de solidariedade com os presos palestinos em greve da fome assinada por uma dezena de movimentos da paz dE vários continentes

https://www.cppc.pt/102-o-cppc/1440-solidariedade-com-os-presos-politicos-palestinianos-em-greve-de-fome-nas-prisoes-israelitas

[18.05.2017]

 
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing