Home Actualidade BARCELONA APROVA MOÇÃO CONTRA OCUPAÇÃO ISRAELITA
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

BARCELONA APROVA MOÇÃO CONTRA OCUPAÇÃO ISRAELITA

O Plenário da Câmara Municipal de Barcelona aprovou uma moção no sentido de romper cumplicidades com o regime de ocupação israelita e a expansão colonial israelita na Palestina.

A moção, que recebeu o apoio dos grupos Barcelona en Comú, Partit Socialista de Catalunya, Candidatura d’Unitat Popular e Esquerra Republicana de Catalunya, condena a ocupação israelita e as políticas de colonização nos territórios palestinos e decide medidas que assegurem o respeito pelos direitos humanos.

A moção reconhece a legitimidade de iniciativas e campanhas não violentas promovidas pela sociedade civil palestina e internacional para reivindicar a defesa dos direitos humanos e do direito internacional humanitário na Palestina, informa um comunicado das organizações catalãs Boicot, Desinversions i Sancions Catalunya, Comunidad Palestina de Catalunya, Coalició Prou Complicitat amb Israel e Rescop (Red de Solidaridad contra la Ocupación de Palestina).

«Congratulamo-nos com o compromisso da Câmara Municipal de Barcelona na aplicação real e efetiva da legislação internacional e no respeito pela liberdade de expressão, um grande passo para a consciencialização das administrações públicas locais na defesa dos direitos humanos e para romper as cumplicidades que inerentemente actuam em favor do apartheid e da ocupação da Palestina», afirma-se no comunicado.

Em Espanha mais de 70 autarquias já se declararam «Espaço Livre de Apartheid Israelita».

Segundo o comunicado, este compromisso de Barcelona ocorre num momento em que se assiste ao incremento da ofensiva de Israel contra o povo palestino. Nomeadamente, Israel vem orquestrando ao nível internacional uma campanha de difamação e criminalização contra o movimento BDS (Boicote, Desinvestimento, Sanções). Em sentido inverso, a moção da Câmara Municipal de Barcelona reconhece em lutas não violentas como o movimento BDS uma ferramenta da sociedade civil para tornar efectivos os direitos humanos.

[21.04.2017]

 
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing