Home Actualidade ISRAEL PREPARA-SE PARA CONSTRUIR MAIS COLONATOS DEPOIS DE RESOLUÇÃO DA ONU QUE OS CONDENA
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

ISRAEL PREPARA-SE PARA CONSTRUIR MAIS COLONATOS DEPOIS DE RESOLUÇÃO DA ONU QUE OS CONDENA

Reagindo com desespero à estrondosa derrota no Conselho de Segurança da ONU, o governo de Israel afirmou segunda-feira, 26 de Dezembro, que vai avançar com milhares de novas casas em Jerusalém Oriental ocupada.

Poucos dias após o Conselho de Segurança aprovar a resolução 2334, que condena os colonatos israelitas, o governo municipal de Jerusalém sinalizou que na quarta-feira (28 de Dezembro) pretende aprovar mais de 600 unidades habitacionais em Jerusalém Oriental ocupada, que seriam uma primeira parcela de 5600 novas casas.

«Não me vou preocupar com a ONU ou qualquer outra organização que possa tentar ditar-nos o que fazer em Jerusalém», afirmou ao jornal «Israel Hayo» o vice-presidente da Câmara, Meir Turgeman.

Por seu lado, Naftali Bennett (ministro da Educação do governo de Benjamin Netanyahu e líder do partido Lar Judaico, de extrema-direita e pró-colonos) criticou no domingo o primeiro-ministro por causa da resolução do Conselho de Segurança, exortando-o a retirar o apoio à solução de dois Estados. Bennett anunciou que vai pressionar no sentido da anexação do colonato de Ma'aleh Adumim (grande colonato de cerca de 40.000 habitantes, situado na Margem Ocidental, a vários quilómetros a leste de Jerusalém) e da Área C (zona que compreende aproximadamente 60% da Margem Ocidental ocupada, completamente controlada por Israel e onde se situam todos os colonatos israelitas).

De acordo com números fornecidos pela ONU, actualmente pelo menos 570.000 colonos israelitas vivem em cerca de 130 colonatos e 100 postos avançados na Margem Ocidental e em Jerusalém Oriental ocupados.

O presidente Obama, que agora termina o seu segundo mandato, proclamou desde o início a sua oposição à expansão dos colonatos. Porém só agora, a dias de abandonar a Casa Branca, tomou uma atitude minimamente consentânea com essa anunciada política, permitindo com a abstenção no Conselho de Segurança a aprovação da resolução 2334.

O facto é que a expansão dos colonatos nunca cessou. Em 2009, ano em que Obama tomou posse, 297.000 pessoas viviam em colonatos na Margem Ocidental e 193.737 em Jerusalém Oriental. Os números tinham subido para 386.000 na Margem Ocidental no final de 2015 e para 208.000 em Jerusalém Oriental no final de 2014, segundo dados da organização israelita Peace Now.

[27.12.2016]

 
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing