Home Actualidade PELA PAZ NA SÍRIA - FIM À INGERÊNCIA E À AGRESSÃO - PELO RESPEITO DA SOBERANIA E INDEPENDÊNCIA DA SÍRIA
PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

PELA PAZ NA SÍRIA - FIM À INGERÊNCIA E À AGRESSÃO - PELO RESPEITO DA SOBERANIA E INDEPENDÊNCIA DA SÍRIA

Por iniciativa do CPPC (Conselho Português para a Paz e Cooperação), vinte organizações, entre as quais o MPPM, subscreveram o comunicado seguinte sobre a situação na Síria:

«Pela Paz na Síria

Fim à ingerência e à agressão

Pelo respeito da soberania e independência da Síria

Há mais de cinco anos que a Síria e o seu povo enfrentam uma cruel agressão, resultante da ingerência externa e da acção de terror de grupos de mercenários, financiados, treinados e armados pelos EUA, a França, o Reino Unido, Israel, a Turquia, a Arábia Saudita, o Qatar, entre outros países. Uma guerra de agressão que provocou centenas de milhares de mortos e feridos, milhões de deslocados e refugiados, a destruição de um país, com tudo o que significa para a vida dos trabalhadores e população em geral.

Os grupos de terroristas que agem na Síria – como a Al-Qaeda, a Al Nusra, o ISIS, entre muitos outros – são responsáveis pelos mais hediondos crimes contra as populações, espalhando uma violência sectária, procurando destruir o Estado sírio, incluindo a sua tradição secular, laica e de liberdade religiosa, onde diversas confissões desde há muito convivem pacificamente.

À semelhança das guerras de agressão ao Iraque e à Líbia, a guerra contra a Síria insere-se no objectivo dos Estados Unidos de impor o seu domínio sobre o Médio Oriente e é também acompanhada por uma ampla campanha mediática de manipulação e mentira com o objectivo de que as guerras de agressão sejam aceites e consideradas como justificáveis.

Na Síria, os EUA e seus aliados tentam impor uma «mudança de regime», através de uma brutal guerra e do seu cortejo de morte, sofrimento e destruição, desrespeitando a soberania e os direitos do povo sírio, incluindo os seus mais elementares direitos humanos e os princípios da Carta das Nações Unidas.

Os EUA e seus aliados – como Israel e a Turquia – desrespeitam a independência e integridade territorial da Síria, não só pelo seu apoio activo aos grupos mercenários, mas igualmente com a sua intervenção militar directa na Síria, à revelia das autoridades deste país e da legalidade internacional.

Estão igualmente na Síria forças militares russas e iranianas que, com as forças sírias, combatem os grupos mercenários, uma presença e apoio militar que se verifica a pedido das autoridades sírias e no respeito da soberania, independência e integridade territorial deste país.

A insistência dos EUA e seus aliados na escalada de confronto, na agressão ao povo sírio e na fragmentação da República Árabe Síria, aumenta os riscos de agravamento do conflito, com consequências imprevisíveis.

As forças da paz, todos quantos defendem e se preocupam com os direitos dos povos e com os direitos humanos, todos os que tomaram posição contra a guerra do Iraque e contra a guerra da Líbia, não devem ficar indiferentes perante a guerra de agressão contra a Síria e o seu povo.

Só ao povo da Síria cabe decidir do seu presente e futuro, livre de qualquer ingerência externa.

Assim, as organizações subscritoras, preocupadas com a continuação e agravamento da guerra de agressão à Síria, com os riscos que a situação representa para a Paz mundial:

- Reclamam o fim da ingerência e agressão à Síria e do apoio aos grupos mercenários e à sua acção de terror e destruição;

- Exigem o apoio urgente às populações afectadas, aos milhões de deslocados e refugiados, vítimas da guerra de agressão.

Organizações subscritoras (até o momento):

CPPC – Conselho Português para a Paz e Cooperação

CGTP-IN - Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional

AAPC - Associação de Amizade Portugal-Cuba

CPCCRD – Confederação Portuguesa das Colectividades de Cultura Recreio e Desporto

JCP – Juventude Comunista Portuguesa

MPPM - Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e pela Paz no Médio Oriente

STML – Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa

FNSTFPS - Federação Nacional de Sindicatos de Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais

MURPI - Confederação Nacional de Reformados, Pensionistas e Idosos

Ecolojovem - «Os Verdes»

SPRC - Sindicato dos Professores da Região Centro

Mó de Vida – Cooperativa

USNA – União dos Sindicatos do Norte Alentejano

Associação "Os Pioneiros de Portugal"

FESAHT – Federação dos Sindicatos de Agricultura, Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal

CPQTC – Confederação Portuguesa dos Quadros Técnicos e Científicos

FIEQUIMETAL - Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas

USL - União dos Sindicatos de Lisboa / CGTP-IN

CMA-J – Colectivo Mumia Abu-Jamal

[08.11.2016]

 
Desenvolvimento: Criações Digitais, Lda  |   Serviços:  Impressão digital  |  Webmarketing